Fechar
Popup
Instituto Servos Adoradores da Misericórdia
Nossos Guardiões
  • São Miguel Arcanjo

    São Miguel Arcanjo

    São Miguel, do hebraico quem como Deus, é um dos principais anjos. Ele, príncipe da milícia celeste, travou no Céu um combate com o demônio. No eterno duelo entre o bem e o mal, Deus tem como aliados São Miguel e seus anjos, os santos e a Igreja, contra Satanás e seus demônios.

    Quando um cristão deixa este mundo, a Igreja pede na missa de Réquiem que São Miguel o introduza na luz celeste, daí o hábito de representa-lo segurando uma balança onde as almas são pesadas.

    O nome de São Miguel aparece nas seguintes passagens da Bíblia:

    1. Em Daniel 10: 13 sqq, Porém o príncipe do reino dos Persas resistiu-me durante 21 dias; mas eis que veio em meu socorro Miguel, um dos primeiros príncipes, e eu fiquei lá junto do rei dos Persas. (...) Mas eu te anunciarei o que está expresso na escritura da verdade; e em todas estas coisas ninguém me ajuda senão Miguel, que é vosso príncipe.

    2.Em Daniel 12, o anjo falando dos últimos dias do mundo diz: Naquele tempo se levantará o grande príncipe Miguel, que é o protetor dos filhos do vosso povo.

    3. Em Apocalipse 12:7, E houve no céu uma grande batalha: Miguel e os seus anjos pelejavam contra o dragão, e o dragão com os seus anjos pelejavam contra ele; porém estes não prevaleceram, e o seu lugar não se achou mais no céu. São João fala o grande conflito do final dos tempos, que reflete a batalha no céu do início dos tempos.
    São Miguel aparece ainda em uma Epístola apócrifa de São Judas disputando com o demônio o corpo de Moisés, segundo uma antiga tradição judaica.

    De acordo com as passagens da Bíblia, são funções de São Miguel:
    1. Lutar contra Satanás.
    2. Resgatar as almas dos fiéis do poder do inimigo, especialmente na hora da morte.
    3. Ser o campeão do povo de Deus, dos Judeus na Antiga Lei e dos Cristãos no Novo Testamento; assim, é patrono da Igreja e das ordem de cavalheiros da Idade Média.
    4. Levar da terra as almas dos homens para o julgamento.

    ORAÇÃO:
    São Miguel Arcanjo, protegei-nos no combate, cobri-nos com vosso escudo contra os embustes e ciladas do demônio. Subjugue-o Deus, instantemente o pedimos e vós, príncipe da milícia celeste, pelo divino poder, precipitai no inferno a Satanás e aos outros espíritos malignos que andam pelo mundo para perder as almas. Amém.

    Fonte: wiki.cancaonova.com
  • Mártir São Justino

    Mártir São Justino

    Filósofo cristão e cristão filósofo, como foi acertadamente definido, Justino (nascido em Flávia Neápolis, na Samaria, no início do século II). Após uma busca por diferentes linhas filosóficas, descobre o grande mistério e a riqueza escondida no cristianismo.
    Ele mesmo conta que, insatisfeito com as respostas dadas pelas várias filosofias, retirou-se para um lugar deserto, à beira-mar, para meditar e que um velho, a quem tinha confiado sua desilusão, respondeu-lhe que nenhuma filosofia podia satisfazer o espírito humano, porque a razão sozinha é incapaz de garantir a posse plena da verdade sem o auxílio de Deus.

    Foi assim que Justino aos trinta anos descobriu o cristianismo, tornou-se seu propagador e para proclamar ao mundo essa sua descoberta escreveu suas duas Apologias. A primeira delas dedicou-a ao imperador Antonino Pio e ao filho Marco Aurélio, ao Senado e ao povo romano. Escreveu outras obras, pelo menos oito, entre as quais a mais considerável é intitulada Diálogo com Trifão e é relembrada porque abre o caminho à polêmica antijudaica na literatura cristã. Mas as duas Apologias permanecem como o documento mais importante, porque destes escritos aprendemos como era explicado o cristianismo naquela época e como eram celebrados os ritos litúrgicos, em particular a administração do batismo e a celebração do mistério eucarístico. Aqui não há argumentações filosóficas, mas comoventes testemunhos de vida da primitiva comunidade cristã, à qual Justino está feliz de pertencer: “Eu, um deles…”. Tal afirmação podia custar-lhe a vida. De fato Justino pagou com a vida a sua pertença à Igreja.

    Por ocasião de sua ida a Roma, foi denunciado por um hipócrita e cínico filósofo, Crescêncio, com quem havia disputado por muito tempo. Também o magistrado que o julgou era filósofo estoico, amigo e confidente de Marco Aurélio. Mas para o magistrado, Justino não passava de simples cristão, igual a seus seis companheiros, entre os quais uma mulher, todos condenados à decapitação pela sua fé em Cristo. Do martírio de são Justino e companheiros se conservam as Atas autênticas.

    A convicção de Justino da verdade do Cristo era tão completa que ele teve morte de mártir sendo decapitado no ano 165 d.C..

    Editado por: Comunidade Servos Adoradores da Misericórdia
    Fonte: https://www.paulus.com.br/portal/santo/sao-justino-martir#.V-J4wIgrLIU
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Justino
    Parte extraído do livro:
    Um santo para cada dia, de Mario Sgarbossa e Luigi Giovannini.
  • Santa Catarina de Sena

    Santa Catarina de Sena

    Dotada de dons místicos, recebeu espiritualmente e realmente as chagas do Cristo.

    Seu dia é celebrado em 29 de abril. Uma das mulheres que marcaram profundamente a história da Igreja. Reconhecida como Doutora da Igreja, era de uma enorme e pobre família de Sena, na Itália, onde nasceu em 1347.

    Voltada à oração, ao silêncio e à penitência, não se consagrou em uma congregação, mas continuou, no seu cotidiano dos serviços domésticos, a servir a Cristo e Sua Igreja, já que tudo o que fazia, oferecia pela salvação das almas. Através de cartas às autoridades, embora analfabeta e de frágil constituição física, conseguia mover homens para a reconciliação e paz como um gigante.

    Dotada de dons místicos, recebeu espiritualmente e realmente as chagas do Cristo; além de manter uma profunda comunhão com Deus Pai, por meio da qual teve origem sua obra: “O Diálogo”. Comungando também com a situação dos seus, ajudou-o em muito, socorrendo o povo italiano, que sofria com uma peste mortífera e com igual amor socorreu a Igreja que, com dois Papas, sofria cisão, até que Catarina, santamente, movimentou os céus e a terra, conseguindo banir toda confusão. Morreu no ano de 1380, repetindo: “Se morrer, sabeis que morro de paixão pela Igreja”.

    Santa Catarina de Sena, rogai por nós!

    Editador por: Comunicação Servos Adoradores da Misericórdia
    Fonte: http://santo.cancaonova.com/santo/santa-catarina-de-sena-servia-a-cristo-e-sua-igreja/
  • Santa Clara de Assis

    Santa Clara de Assis

    Destacou-se desde cedo pela sua caridade e respeito para com os pequenos.
    Nasceu em Assis (Itália), no ano de 1193, e o interessante é que seu nome vem de uma inspiração dada a sua fervorosa mãe, a qual [inspiração] lhe revelou que a filha haveria de iluminar o mundo com sua santidade.

    Pertencente a uma nobre família, destacou-se desde cedo pela sua caridade e respeito para com os pequenos, por isso, ao deparar com a pobreza evangélica vivida por Francisco de Assis apaixonou-se por esse estilo de vida.

    Em 1212, quando tinha apenas dezoito anos, a jovem abandonou o seu lar para seguir Jesus mais radicalmente. Para isso foi ao encontro de Francisco de Assis na Porciúncula e teve seus lindos cabelos cortados como sinal de entrega total ao Cristo pobre, casto e obediente. Ao se dirigir para a igreja de São Damião, Clara – juntamente com outras moças – deu início à Ordem, contemplativa e feminina, da Família Franciscana (Clarissas), da qual se tornou mãe e modelo, principalmente no longo tempo de enfermidade, período em que permaneceu em paz e totalmente resignada à vontade divina.

    Nada podendo contra sua fé na Eucaristia, pôde ainda se levantar para expulsar – com o Santíssimo Sacramento – os mouros (homens violentos que desejavam invadir o Convento em Assis) e assistir, um ano antes de sua morte em 1253, a Celebração da Eucaristia, sem precisar sair de seu leito. Por essa razão é que a santa também é aclamada como a “Patrona da Televisão”.

    Santa Clara, rogai por nós!

    Fonte: http://santo.cancaonova.com/santo/santa-clara-patrona-da-televisao/
  • São José

    São José

    São José, tal como a Virgem Maria, com o seu “sim” a Deus, no meio da noite, preparou a chegada do Salvador. Deus Pai contou com ele e não foi decepcionado. Que o Altíssimo possa contar também conosco! Cada um de nós também tem uma missão a cumprir no plano divino. E o mais importante é dizer “sim” a Deus como São José. “Despertando, José fez como o anjo do Senhor lhe havia mandado” (Mt 1,24).

    Celebrar a festa de São José é celebrar a santidade, a espiritualidade, o silêncio profundo e fértil. O pai adotivo de Jesus entrou mudo e saiu calado, mas nos deixou o Salvador pronto para começar a Sua missão. É como alguém destacou: “O servo que faz muito sem dizer nada; o especial agente secreto de Deus”. Ele é o mestre da oração e da contemplação, da obediência e da fé. Com ele aprendemos a amar a Deus e ao próximo.

    São José viveu o que ensinou João Batista: “É preciso que Ele [Jesus] cresça e eu diminua” (Jo 3,30).


    Editado por: Comunicação Servos Adoradores da Misericórdia
    Fonte: http://formacao.cancaonova.com/igreja/santos/o-nosso-pai-sao-jose/
  • São Francisco de Assis

    São Francisco de Assis

    Nascido na cidade de Assis, na Itália, em 1181 (ou 1182). Filho de um rico comerciante de tecidos, Francisco tirou todos os proveitos de sua condição social vivendo entre os amigos boêmios.
    São Francisco de Assis foi um homem comum com sonhos e projetos de vida. Ele tentou seguir a carreira que seu pai, comerciante, que não foi bem sucedida. Então tentou seguir a carreira militar e se alistou no exército a serviço do Papa, e nesse meio tempo em Spoleto teve um sonho revelador: “Foi convidado a trabalhar para o Patrão e não para o servo”, desde então vieram várias revelações.
    Não demorou muito e logo se dedicou a cuidar dos pobres e doentes na cidade de Assis e em 1205, em uma igrejinha de São Damião, Francisco ouviu uma imagem de Cristo dizer: “Francisco, restaura minha casa decadente”.
    Ele entendeu o convite de JESUS e deu sua vida e tudo o que tinha para servir e cuidar dos pobres e doentes por amor ao próximo e ao Cristo Jesus.
    Francisco se doou inteiramente a Jesus Cristo com apenas 20 anos de idade.

    São Francisco de Assis, rogai por nós!

    Fonte: http://blog.cancaonova.com/natal/2012/10/04/sao-francisco-de-assis/
  • São João Paulo II

    São João Paulo II

    O Papa João Paulo II (Karol Józef Wojtyla), polonês, foi eleito Papa a 16 de Outubro de 1978, num momento muito difícil em que o mundo enfrentava a perigosa guerra fria entre os EUA e a União Soviética. Na época todos temiam uma guerra nuclear que poderia acabar com o Planeta.
    Sua santidade e notável vida de oração venceu muitas lutas da humanidade.

    João Paulo II obteve o doutorado em Teologia (1948), em Roma, com uma tese sobre o conceito da fé nas obras de São João da Cruz.Foi o primeiro papa não italiano depois de muitos anos e com grande surpresa por ter vindo de um país da Cortina de Ferro comunista.

    João Paulo II realizou 146 visitas pastorais na Itália e visitou 317 paróquias romanas. Fez 104 viagens apostólicas pelo mundo, escreveu 14 Encíclicas, 15 Exortações Apostólicas, 11 Constituições Apostólicas e 45 Cartas Apostólicas. Deixou 5 livros;
    Promulgou o novo Código de Direito Canônico Latino e das Igrejas Orientais, em 1983; o novo Catecismo da Igreja Católica, em 1992; proclamou o Ano da Redenção, o Ano Mariano e o Ano da Eucaristia, culminando no Grande Jubileu do Ano 2000. Inaugurou a celebração das Jornadas Mundiais da Juventude. Em suas Audiências Gerais das Quartas-feiras (cerca de 1160) participaram mais de 17 milhões e 600 mil peregrinos, sem contar as outras Audiências especiais e as cerimônias religiosas (mais de 8 milhões de peregrinos apenas no decorrer do Grande Jubileu do Ano 2000). Realizou 38 Visitas Oficiais e as restantes 78 Audiências ou Encontros com Chefes de Estado, como também as 246 Audiências e Encontros com Primeiros-ministros.
    Com 25 anos de pontificado, João Paulo II foi o terceiro papa de pontificado mais longo na história da Igreja. Foi um gigante que deixou saudade em todo o mundo, marcando com sua presença amiga e corajosa todos os povos por onde passou. Esteve no Brasil por três vezes e foi muito amado pelo povo brasileiro.

    João Paulo II, auxiliado pelo cardeal Joseph Ratzinger, seu sucessor como Bento XVI, deu combate à perigosa e herética teologia da libertação (de cunho marxista), que despreza o espiritual e só dá ênfase ao social e político como meios de libertação do povo que cria um falso cristianismo.
    Morreu em Roma, sábado 2 de Abril de 2005, e canonizado em 27/04/2014, dia da Divina Misericórdia, festa que ele mesmo instituiu.
    Liturgicamente São João Paulo II é celebrado no dia 22 de outubro devido a data de início do seu pontificado.

    São João Paulo II, rogai por nós!

    Editado por: Comunicação Servos Adoradores da Misericórdia
    Fonte: blog.cancaonova.com/phn/tag/sao-joao-paulo-ii/
  • São Pio de Pietrelcina

    São Pio de Pietrelcina

    Recebeu de Deus a inspiração de construir um grande hospital, conhecido como “Casa Alívio do Sofrimento”

    Seguidor de São Francisco de Assis, Padre Pio nasceu no dia 25 de maio de 1887 em Pietrelcina (Itália). Seu nome verdadeiro era Francesco Forgione. Ainda criança era muito assíduo com as coisas de Deus, tendo uma inigualável admiração por Nossa Senhora e o seu Filho Jesus, os quais via constantemente devido à grande familiaridade. Ainda pequenino havia se tornado amigo do seu Anjo da Guarda, a quem recorria muitas vezes para auxiliá-lo no seu trajeto nos caminhos do Evangelho.

    Conta a história que ele recomendava muitas vezes as pessoas a recorrerem ao seu Anjo da Guarda estreitando assim a intimidade dos fiéis para com aquele que viria a ser o primeiro sacerdote da história da Igreja a receber os estigmas do Cristo do Calvário. Com quinze anos de idade entrou no Noviciado da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos em Morcone, adotando o nome de “Frei Pio” e foi ordenado sacerdote em 10 de agosto de 1910 na Arquidiocese de Benevento. Após a ordenação, Padre Pio precisou ficar com sua família até 1916, por motivos de saúde e, em setembro desse mesmo ano, foi enviado para o convento de São Giovanni Rotondo, onde permaneceu até o dia de sua morte.

    Abrasado pelo amor de Deus, marcado pelo sofrimento e profundamente imerso nas realidades sobrenaturais, Padre Pio recebeu os estigmas, sinais da Paixão de Jesus Cristo, em seu próprio corpo. Entregando-se inteiramente ao Ministério da Confissão, buscava por meio desse sacramento aliviar os sofrimentos atrozes do coração de seus fiéis e libertá-los das garras do demônio, conhecido por ele como “barba azul”.

    Torturado, tentado e testado muitas vezes pelo maligno, esse grande santo sabia muito da sua astúcia no afã de desviar os filhos de Deus do caminho da fé. Percebendo que não somente deveria aliviar o sofrimento espiritual, recebeu de Deus a inspiração de construir um grande hospital, conhecido como “Casa Alívio do Sofrimento”, que se tornou uma referência em toda a Europa. A fundação deste hospital se deu a 5 de maio de 1956.

    Devido aos horrores provocados pela Segunda Guerra Mundial, Padre Pio cria os grupos de oração, verdadeiras células catalisadoras do amor e da paz de Deus, para serem instrumentos dessas virtudes no mundo que sofria e angustiava-se no vale tenebroso de lágrimas e sofrimentos. Na ocasião do aniversário de 50 anos dos grupos de oração, Padre Pio celebrou uma Missa nesta intenção. Essa Celebração Eucarística foi o caminho para o seu Calvário definitivo, na qual entregaria a alma e o corpo ao seu grande Amor: Nosso Senhor Jesus Cristo; e a última vez em que os seus filhos espirituais veriam a quem tanto amavam.

    Era madrugada do dia 23 de setembro de 1968, no seu quarto conventual com o terço entre os dedos repetindo o nome de Jesus e Maria, descansa em paz aquele que tinha abraçado a Cruz de Cristo, fazendo desta a ponte de ligação entre a terra e o céu.

    Foi beatificado no dia 2 de maio de 1999 pelo Papa João Paulo II e canonizado no dia 16 de junho de 2002 também pelo saudoso Pontífice. Padre Pio dizia: “Ficarei na porta do Paraíso até o último dos meus filhos entrar!”

    São Pio de Pietrelcina, rogai por nós!

    Fonte: http://santo.cancaonova.com/santo/sao-pio-de-pietrelcina-alivio-para-os-sofrimentos-de-seus-fieis/
  • Instituto Servos Adoradores da Misericórdia
    Linha Rio Bugre ,S/N ,Interior – Caçador/SC - Caixa postal 431 - CEP: 89.500-000

    Copyright © 2020 - Todos os direitos reservados.